Brincar de Lego é uma atividade que quase todas as crianças gostam.

IMG_0621.jpg

Na nossa experiência, as crianças alternam entre três tipos de brincadeira:

  1. Brincadeira Estruturada: onde a criança segue as instruções da caixa, montando o brinquedo descrito segundo uma ordem definida de passos; 
  2. Brincadeira de Construção Criativa: onde a criança usa os blocos de forma livre para criar novas formas e brinquedos; e
  3. Brincadeira Narrativa: onde a criança usa os blocos para contar uma história, geralmente original, mas que pode ser baseada em histórias e personagens que ela conhece.

As crianças que não tem diagnóstico de transtornos (que chamaremos aqui de neurotípicas), costumam variar entre os três tipos, dependendo do momento.

Entretanto, crianças diagnosticadas no espectro do Autismo e Síndrome de Asperger geralmente se concentram, com grande habilidade, em brincadeiras Estruturadas (1), sendo mais complicado para estas crianças as brincadeiras de Construção Criativa (2) e particularmente difíceis as interações com brincadeiras Narrativas (3).

Estudos feitos nos EUA e na Inglaterra implementaram técnicas de uso de LEGO® para incentivar crianças com estes diagnósticos a desenvolverem habilidades como cooperação, comunicação e brincadeiras em pares. Habilidades fundamentais que podem e deve ser estimuladas em todas as crianças, neurotípicas ou não. 

Na Just CODING oferecemos o LEGO® CLUB, um espaço de brincadeira para crianças com ou sem diagnóstico de Autismo. Para isto, temos LEGO® apropriados para a idade de cada criança (de 5 a 80 anos).

Como funciona o LEGO CLUB?

Primeiro explicamos para as crianças as regras do LEGO CLUB (repetimos as regras todos os dias e pedimos que elas repitam de volta, até todas serem capazes de falar todas as regras sozinhas no início do clube):

  1. CONSTRUIR JUNTOS!
  2. SE QUEBRAR, CONSERTE OU PEÇA AJUDA.
  3. NÃO PEGAR DO COLEGA, PEDIR.
  4. USE VOZ BAIXA – SEM GRITAR.
  5. PÉS E MÃOS NA SUA ÁREA PESSOAL.
  6. USE PALAVRAS EDUCADAS.
  7. MANTER O ESPAÇO ORGANIZADO
  8. NÃO COLOCAR LEGO NA BOCA.

    Então começamos as Etapas do LEGO CLUB:

    1. Escolhemos juntos um modelo para ser montado.
    2. Uma pessoa é o Fornecedor, uma é o Engenheiro e o outro é o Construtor.
    3. O papel do Fornecedor é encontrar as peças e entregar para o Engenheiro.
    4. O papel do Engenheiro é ler as instruções e entregar as peças para o Construtor.
    5. O papel do Construtor é montar as peças.
    6. A cada 5 minutos (ou 10 minutos, dependendo da idade) trocaer os papéis: o Fornecedor se torna o Engenheiro, o Engenheiro se torna o Construtor e o Construtor se torna o Fornecedor.
    7. Ao terminar o modelo escolhido, podem montar livremente até o final do tempo da aula. Deve ser decidido pelo grupo se o modelo montado pode ser desmontado para usar as peças na montagem livre.

    A professora é treinada para seguir uma série de Atitudes Educacionais:

    • Atitude 1 - Se a criança brigar, jogar as peças ou gritar, falamos calmamente que ela descumpriu a regra (gritar = regra 4, por exemplo) e só poderá brincar novamente na próxima aula. Pedimos a ela que explique o motivo de ter ficado irritada, para que possamos evitar que isto aconteça na próxima vez. Aceitamos o sentimento da criança, mas não o seu comportamento. Em caso de ainda faltar muito tempo para o fim da aula, a criança será instruída a sair da sala com um cuidador. Ela poderá brincar na área externa da escola, mas é fundamental que ela entenda que comportamentos inadequados não serão permitidos dentro do LEGO CLUB. 
    • Atitude 2 - Peça às crianças que se comuniquem, fazendo a modelagem do comportamento esperado: "Ao receber uma peça, dizemos Obrigado", "Se a montagem não está correta, nós damos dicas, falando o que está errado". Também intervenha em caso de comportamento inadequado: "Não colocamos as peças na boca, pois é perigoso".
    • Atitude 3 - Aceitação incondicional. Elogiamos cada passo feito corretamente, de maneira honesta, sem exageros: “Muito bem, você encaixou a peça certa. ”, "Parabéns, está ficando muito bom.”, “Obrigada, você achou a peça correta. ” 
    • Atitude 4 - Nunca criticamos a criança por ter montado ou separado blocos incorretamente. Fazemos perguntas e deixamos que elas encontrem o erro: “Você acha que esta peça está correta?”, “Eu não consigo encaixar esta peça. Será que esta peça que você montou pode ser montada de outro jeito? ”

    Quais as vantagens para as crianças?

     

    Estudos comparando estas terapias com a terapia LEGO mostram que a terapia LEGO apresenta melhores resultados de forma estatisticamente significativa [1]:

    1. Desenvolvimento social e manutenção destes desenvolvimentos após 3 meses, com 18% de melhorias na terapia tradicional, 33.2% de melhorias na terapia LEGO.
    2. Avaliação GARS-SI, que mede comportamentos repetitivos associados aos transtornos. Nesta avaliação o grupo da terapia LEGO melhorou 31.2% enquanto a tradicional melhorou 20.9%. 
    3. Pode ser observado que as crianças se mostravam mais engajadas, faltavam menos, e sentiam mais felizes participando da terapia LEGO do que terapias tradicionais.

    Os principais motivos para a utilização da terapia LEGO incluem: 

    1. Motivação inicial das crianças, uma vez que LEGO costuma ser um interesse especial de grande parte das crianças com estes diagnósticos; 
    2. Versatilidade de materiais e possibilidades, que permitem trabalhar desde organização emocional (esperar, organizar), desenvolvimento de sentimentos (“Nesta história que contamos com o LEGO, como você acha que este personagem se sentiu?”) até interações em grupo (“Como vamos decidir qual o novo projeto que iremos fazer hoje? Quem é responsável por pegar as peças hoje? De quem é a vez de programar? Como podemos pedir ao colega para ele entregar a peça para continuarmos montando?”); 
    3. Na proposta atual do Club LEGO na Just CODING, também incluímos de forma experimental a possibilidade de participação de pais e filhos no Club LEGO (sem outras crianças).  Acreditamos que momentos de diversão sem pressão de desempenho de forma estruturada pode contribuir para o desenvolvimento de um laço emocional profundo dos pais de crianças atípicas, que normalmente se sentem menos conectados com seus filhos devido às características emocionais dos seus filhos.

    COMO PARTICIPAR DO LEGO CLUB?

    Venha para a Just CODING, marcando uma AULA EXPERIMENTAL! 

    Aguardamos você para CONSTRUIR O FUTURO!

    Comment